Contos | O segurança do Itaú - Parte 3

     
                                       
     

   Quando cheguei em casa adicionei o número do Gabriel nos meus contatos, mas não tinha certeza se ligava para ele ou não. Passou uns dias, fiquei cuidando da minha tia. Tive sonhos eróticos com ele, acordava todo gozado. Até que decidi ligar.
         Quando liguei chamou, chamou e achei que ele não fosse atender, aí ele atendeu:
          - alô?
          - opa, gabriel, sou eu o carinha do itaú
          - ah, eae quer se encontrar?
          - quero ne, fiquei na vontade depois daquele dia
          - quem vim no meu apê? Pode ser?
          - pode, só marcar o dia
          - pode ser amanhã
          - então ta, quanto mais rapido melhor kk
          - então ta, até
          - até
    
        Ele me passou o endereço pelo whats. Minha tia tinha ido ao médico nesse dia, o que me deixou livre pra me preparar, fui comprar camisinha e lubrificante. No dia seguinte de manhã, ela estava dormindo, então aproveitei pra fazer a chuca.
         Quando chegou a noite lá para as 19:00, fui no apê dele, que era ali em São Cristóvão mesmo.
          Ele abriu a porta, mal entrei ele já começou a me beijar, não resisti claro, fui na dele, ele me empurrou contra a parede e me beijou, mordeu meus lábios, desceu pro meu pescoço, foi até meu peito, lambeu meus mamilos, que estavam duros, e foi descendo até meu pau, ele abriu minha calça, abaixo minha cueca e colocou meu na boca.
        O segurança sabe mamar viu, primeiro ele ficou só na bitola, depois foi até a base e conseguiu colocar o pau inteiro na boca, junto com as bolas, tava tão gostoso que senti que ia gozar naquele momento, então saí, e fui mamar ele quando ele me pediu para esperar, me mostrou onde era o quarto e me pediu para esperar ele lá.
         Fui pro quarto tirei a roupa e subi na cama, tava peladão esperando ele com o pau durasso. Ele demorou um pouco, achei que ele só tinha lembrado de fazer a chuca naquela hora, mas aí ele voltou.
         Ele tava com o uniforme de segurança, com algema e tudo. Não sei como ele adivinhou que eu tinha fetiche em fardados. Ele tirou o cacetete, e começou a bater a mão nele, perguntando se eu queria ser fudido, como não resisto a um fardado disse que sim, ele bateu na minha cara e disse que não ouviu, falei: sim, ele bateu mais forte e disse que não ouviu, gritei: sim!
          Ele pegou as algemas e me prendeu na cama pelos dois braços, e me beijou e de desceu até meu pau, mamou e foi até meu cu, geralmente sou ativo mas para aquele homem fardado dava até não aguentar mais, ele chupou meu cu, passou e enfiou aquela lingua quente e gostosa no meu rabo, me lambuzou inteiro.
           Aí ele levantou minha perna e começou a me foder com o dedo e me beijar ao mesmo, pedi pra ele enfiar aquele pau no meu cu e falei que tinha lubrificante e camisinha no meu bolso.
           Ele só pegou o lubri, passou no meu cu, no pau dele sem capa e já entrou socando, não aguentei e soltei um grito, ele metendo bateu na minha cara e perguntou se eu queria, falei que sim, ele meteu e meteu, bateu na minha cara e no peito, tirou o pau do meu cu e enfiou na minha boca, voltou e continuou metendo sem dó. Isso tudo por quase meia hora.
           Quando ele tirou o pau, veio no meu rosto e jorrou toda aquela porra quente em mim, e me botou pra mamar mais até o pau dele broxar.
             Ai ele foi no meu pau e me mamou até engasgar. Ele saiu da cama e abaixou a calça. Passou lubri no meu pau, subiu em cima de mim e começou a cavalgar, que raba gostosa que ele tinha, ele sentou e rebolou na minha pica, não aguentei e soltei meu gozo dentro do cu dele, melhor sensação foi sentir o gozo sair do cu dele e escorrer pelo meu pau.
               Quando acabamos ele tirou as algemas e me ofereceu o banheiro para tomar banho, tomei com dificuldade, meu cu tava ardendo e sinceramente, tava piscando querendo mais.
                Me despedi, fui embora, e quando cheguei em casa, durmi e ainda sonhei com aquela foda maravilhosa que nunca vou esquecer.
            
            

Postar um comentário

0 Comentários