Contos | O Entregador de Gás






Essa história aconteceu tem uns 4 anos.

      Tinha acabado de chegar em casa, fui fazer um café quando vi o gás acabou. Liguei pra central do gás e disseram que iriam enviar um botijão em breve.
      Fui então tomar banho pois estava suado e quando saí do banheiro o interfone tocou e era o entregador. Peguei rapidamente uma cueca e vesti. César o nome que darei a ele, era moreno, 1,72m magro definido uns 70 kg, o que se percebia pela camisa de malha que desenhava o tanquinho.

      Atendi ele normalmente e perguntei se poderia trocar o gás. César foi muito gentil, trocou o gás e ofereci um café ao qual ele aceitou, mas disse um cafezinho. Conversamos uns 5 minutos. Nisso vi que ele por 3 vezes olhou pra minha cueca. Se desconcertou e quando viu que tinha visto disse: cueca maneira...rs. Disse a ele: tenho coleção. Se quiser conhecer...ele então tirou a luva e alisou frente e costas...disse agora não posso me demorar, mas saio em 2 horas. Posso vir? Respondi que seria um prazer... Umas 19 h interfone toca e era ele.
     Quando entrou vi que estava todo cheiroso. Conversamos um pouco e quando vi me tascou um beijo ardente e retribui com gosto. Rimos e vi que tinha uma conversa boa. Nesse dia resolveu não ir ao cursinho pré-vestibular pra ficar comigo. Quando disse isso arranquei a camisa dele e comecei a chupar seus peitinhos, arrancou a minha também e me fez um pedido: ver a minha coleção de cuecas. Levei ele pro quarto e mostrei algumas...ele pede pra vestir e mostrar a ele.

      Já estava de pau durasso e as cuecas ficavam melhores assim. Ele sempre passava a mão no meu pau e na minha bunda qdo vestia, até qdo vesti uma delas e ele não resistiu: abaixou e começou a mamar meu pau. Tirei o restante da roupa dele e percebi o lindo pau e bunda que tinha. Ele me disse: sou todo seu e quero você pra mim. Quase gozo ao ouvir isso... Fomos pra cama e ficamos num 69 gostoso, fui então chupar seu cuzinho delicioso, apertadinho com o meu. César gemia toda vez que enfiava a lingua e pedia mais.
      Foi quando ele veio e fez o mesmo em mim. Tinha uma lingua que mamava com maestria, me deixando mais excitado e pedindo pra ele me comer. Colocou uma camisinha e veio com seus 20 cm não muito grosso colocando devagar e beijando minha nuca, mordiscando a orelha. Primeiro a cabecinha pra acostumar e foi aos poucos deslizando. Tirou, colocou de novo até que senti tudo dentro. Delicia aquele cara fodendo meu cu, sem pressa, com muito beijo e carinho. Bombou uns 5 a 10 minutos e tirou. Estranhei.

      Ele disse: quero sentir você me penetrando, como meu macho, e eu o seu. Comecei a penetrar e ele arrepiava e mexia aquela bunda carnuda gostosa. Pedia pra aumentar o ritmo e socar naquele cu. Bombei ele uns 15 minutos, de 4 como adoro, de franguinho e eu batendo punheta nele. César então pede leitinho na cara. Tirei a camisinha e comecei a punhetar quando anunciei o gozo.
      Ele então abriu a boca qdo esguichei leite na sua boca e ele mamou tudo. Em seguida foi a sua vez de jorrar seu leite em minha cara, me melar todinho com bastante leite e deixei seu pau limpo. Fomos pro banho e depois fomos jantar.
      César então me surpreende com uma pergunta: posso dormir aqui com você? Olhei fundo nos olhos dele e disse: você quer? e ele: é tudo que quero... Foi a primeira de muitas noites. César passou a frequentar minha casa, 3 a 4 noites por semana. E não negávamos fogo um pro outro. Ficamos assim por uns 3 anos... e muitas coisas boas aconteceram nesse período com a gente... mas é uma outra historia.

Postar um comentário

0 Comentários