Contos | A orgia no cinema gay


      Trabalho no centro de Goiânia, um mês atrás mais ou menos, passei em um cinema gay aqui no centro mesmo, chegando lá estava até cheio, mas quem mora em Goiânia sabe que ninguém chega em ninguém, ficam só se olhando e se fazendo de difícil, isso me mata. Sentei e veio um gordinho (nada contra, até curto) mas esse não curti.
     Então vi que perto da tela do cinema tinhas uns caras entrando numa portinha e fui lá ver, chegando lá tinha dois caras se pegando, fiquei louco de tesão, pois eram dois grandões, mas a pegação deles estava tão gostosa que só consegui pegar no pau de um e chupar o cu de outro, logo gozaram e se foram.

      Passado um tempo, vi que tinha um cara sentado em uma das primeiras fileiras sem fazer nada, esse cara era aquele gordinho, quando me ele veio até minha direção querendo me mamar. Tava com tanto tesão por causa da pegação com aqueles dois caras que não recusei.
      Então o gordinho entrou e me chupou, perguntou se eu comeria ele, eu disse que sim, aí ele saiu pra comprar camisinha.
      Enquanto o gordinho ia comprar a camisinha, vi um outro cara que tava sentado passando a mão no grande volume abaixo da calça jeans. Me aproximei e vi que era um homem lindo demais um pouco do bronzeado do verão, com um corpão musculoso, peguei no pau dele e senti ele durão, um pau grande, desses que pode comer forte por horas, era um cara cheiroso e com um beijo delicioso.
   
      Abri o zíper da calça dele e o pau dele pulsando saltou direto pra fora (ele estava sem cueca), ele estava suado (os ar-condicionados dos cinema eram bem fracos), nisso prestes a meter a boca em seu enorme mastro, senti o cheiro de pau suado, aquele cheiro forte de macho. Não me aguentei e chupei ele, eu babava no pau dele de tão cheio de tesão que eu tava.
      O pau dele tinha uns 18 cm, era gosso cheio de veias, mas n era só o corpo que era grosso, a cabeça era enorme também, minha boca mal entrava de tão grande que tudo era, por isso ele começou a forçar e empurrar minha cabeça até a base. Eu engasgava, salivava muito, mas n queria parar, ele empurrou e empurrou até eu chegar nas bolas (consegui colocar uma na boca também). Ele gemia de prazer e tesão. Foi aí que ele gozou, nem tinha tirado toda a minha boca e tudo o que senti foi aquele jato de porra indo em direção à minha garganta. Foi aí que engasguei mesmo, joguei toda aquela porra de volta pro pau dele, e vi que mesmo depois de ter gozado aquilo tudo, o pau dele continuava duro que nem pedra, com a porra que eu cuspi escorrendo pelas bolas.

      Então depois de uns 20 min de oral e carinho ele pediu pra me comer, claro que deixei, tirei menha calça e cueca, fiquei de quatro em cima dos assentos e ele enfiou, doeu um muito, ele não poupou não, enfiou tudo de uma vez, mesmo com a dor eu estava duro de tesão com aquele cara cheiroso, suado e forte me comendo. ficamos assim um bom tempo, ele me comendo e me beijando, fiquei em umas 3 posições diferentes, eu sentia meu cu latejar de prazer enquanto ele tirava e colocava com força aquela pica no meu rabo.
  
      Logo entrou um outro cara mais baixo, não muito musculoso e bem branco, tirou o pau pra fora e ficou punhetando, logo o fortinho cheiroso gozou (pela segunda vez, e não foi pouco) e tirou, e enquanto pingava porra do meu cu, o outro veio e me colocou pra chupar, não aguentou, me pediu pra ficar de quatro e me socou com força, ele metia que nem um doido. Comecei a chupar o fortinho outra vez (que ainda tava duro), logo o branquelo gozou, enchendo mais o meu cu de porra. Eu tava pingando tanto que fiquei ali sentado, enquanto eles saíam da salinha. Foi uma foda espetacular uma das melhores que já tive.

      Então quando começo a me arrumar, o gordinho me aparece com a camisinha, percebendo que eu ainda estava duro, lembrei que eu não tinha metido, nem gozado em ninguém. Tirei novamente a calça e botei o puto pra mamar. O resto fica pra uma outra hora.

Postar um comentário

0 Comentários