Contos | Peguei o porteiro do prédio


Oi, tenho de 16 anos e esse é o primeiro conto que faço. Já visito a algum tempo o site, adoro ler as histórias, mas resolvi criar as minhas. Nunca tive nenhuma experiencia homossexual, mas resolvi escrever uma fantasia minha aqui. 
Tudo começou quando minha família resolveu viajar e eu não queria ir. Insisti muito até que deixaram eu ficar, mas uma prima minha mais velha viria tomar conta de mim enquanto eles estivessem fora. 
Meus pais viajaram e nada dela aparecer, resolvi então esperar ela no térreo do prédio, quando vejo um porteiro do prédio, que vou chamar de Marcos, ele é branco, largo com um quantidade média de pelos pelo corpo. Ele estava sem camisa e de shortinho e tinha acabado de terminar seu turno e já ia tomar banho para ir embora. Como já era um pouco tarde, a maioria dos moradores estavam dormindo, não aguentei de tanto tesão e resolvi seguir ele e ver se conseguia ver algo a mais. Ele entra no banheiro dos funcionarios do predio e começa a tirar a roupa, e eu espiando tudo pelo buraquinho. 
No meio do banho ele começa a se masturbar, fiquei maluco, meu pau subiu nessa hora. Estava tão distraído que não percebi que outro funcionário entrou e me pegou no flagra. Gelei na hora e inventei mil desculpas, mas não adiantou. Marcos então sai do banheiro e diz que resolveria esse "problema". Após o cara sar, Marcos foi falando: - Hum.. Sabia que você era gay, já desconfiava a um bom tempo. Gostou de me ver? Eu já chorando e implorando para que não contasse para os meus pais, nem ouvi direito o que ele falo. Ele então disse: - Não vou contar... Se você deixar eu comer esse seu cuzinho. Me passaram mil coisas na cabeça, mas era só essa a alternativa, e eu queria mesmo rsrs. Fomos então para o apartamento. 
Mal entrei e ele me apertou por trás, beijando e cheirando o meu pescoço e falando no meu ouvido que eu tinha cheiro de menina e que hoje eu seria a putinha dele. Fomos para o sofá, onde consegui ver um grande volume no seu short, ele fala: -Hoje ele é todo seu. Pode pegar. Eu ainda tava envergonhado com a situação e não sabia o que fazer, ele pega minha mão, que estava tremendo, e leva para o seu pau, começo a tocar uma para ele. 
Um pouco ele diz pra eu dar uns beijos no seu pau. Com um pouco de nojo ainda, comecei a beijar a cabeça e sinto aquele cheiro de macho, que me fez "despertar" e começar a chupar todo o seu pau dos ovos até a cabeça. Não passa muito tempo e ele começa a jorrar jatos de porra na minha garganta. Tiramos as roupas e fomos para cama onde ele me bota de quatro e começa a lamber meu cuzinho, o que me levou ao delirio. 
Ele então começar a "pincelar" com seu pau na portinha, com muito tesão já, eu pedia pra ele várias vezes para meter logo e ele pedia pra me acalmar. Até que ele começa a força a entrada. Nessa hora doeu muito, e disse para ele parar que estava doendo muito, ele diz: - Você que pediu, agora vai aguentar até o fim. Começo a chorar de tanta dor, ele tapa minha boca e continua enfiando seus 20 cm de rola no meu cuzinho, até que ele enfia tudo e diz: - Não disse que ia aguentar, agora é que você vai gostar. 
Ele começa a meter lentamente e meu cú arrombado aos poucos já ia se acostumando com aquela vara. Passando um tempo, comecei a sentir prazer naquilo e ele vendo isso fala: - Tá gostando minha putinha então toma mais. Ele foi aumentando a velocidade, até que anunciou que iria gozar, não passou 10 segundos e jorrou litros de porra no meu cú arrombado. 
Tomamos banhos juntos, ele pegou suas roupas e foi embora. Depois desse dia ainda dei pra ele várias vezes e para outros funcionários, mas sem ninguém saber claro.

Créditos: http://contoseroticos.org/contos-eroticos-gays/conto-erotico-com-o-porteiro-do-predio-14713.html


Postar um comentário

0 Comentários